Seguidores

22 de jan de 2011

Intolerância Zero

Num sentido social, intolerância é a ausência de disposição para aceitar pessoas com pontos-de-vista diferentes. No cotidiano, a intolerância é uma atitude expressa através de argumentação raivosa, menosprezando as pessoas por causa de suas diferenças de cor; de classe social; diferenças religiosas ou características físicas; orientação sexual e muitos outros, retratando algo negativamente devido aos próprios preconceitos.

O Jornal “A Cidade”, com intuito de promover a discussão quanto ao tema em nossa cidade, criou uma enquete no Blog do Jornal para fazer uma leitura da situação atual. A partir daí, vem estabelecendo parcerias que tem por objetivo levar a um amplo público e às organizações sociais, temas de interesses comuns, dos mais diferentes campos das Ciências Humanas que possam contribuir para maiores esclarecimentos e melhor forma de condução para a tão sonhada Tolerância Social.

Os parceiros confirmados vêm se reunindo com a redação do Jornal para elaborarem estratégias que permitam os diversos públicos, formadores de opinião, ter contato com palestras, informações, experiências exitosas propiciando novos desafios ao conhecimento e reforçando as idéias de democracia e cidadania.

Nesta primeira edição do projeto proposto abordaremos sobre oRacismo, Homofobia, Deficiência, Diferenças de Classe Social e Religiosa.
Os meios utilizados serão artigos no Jornal, Panfletos Educativos, anúncios em rádios, camisetas, “terrorismo poético”, palestras, dentre outros.

Em breve, entraremos em contato com aqueles que acreditamos ser um parceiro em potencial por conhecermos suas atitudes de tolerância e amor ao próximo; àqueles que se identificarem com a proposta, fiquem à vontade para procurar a redação do jornal e/ou parceiros.

Parceiros já definidos: Rogério Macedo Coelho – Professor de Filosofia, Sociologia e Ética; Ilcileide Luiza de Oliveira Souza – colaboradora da “Educar do Brasil”; Marize Cordeiro de Andrade – Diretora do Sind-UTE; Grupo de Teatro Anim’Art e Câmara Municipal de Capelinha.
Sou também parceira do projeto uma vez que a psicanálise, ao deter-se no desenvolvimento do sujeito, permite aprofundar o olhar sobre as condições necessárias ao processo de crescimento e seus desdobramentos. Levando sempre em conta as relações inter-subjetivas, além de auxiliar na compreensão das diversas relações envolvidas neste processo.

Uma educação para a tolerância visa compreensão e busca dar condições éticas para que possamos nos voltar para o Outro, de modo a acolher as diferenças e contribuir na construção de um mundo mais solidário.

Marli Andrade
Psicanalista - Psicopedagoga
CNP – ESPO nº 0705-59
texto publicado no Jornal "A CIDADE"
em 19/01/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário